Centro termal de São Pedro do Sul

Em conjunto com o turismo histórico e de natureza, o distrito de Viseu é exímio no turismo de saúde e bem-estar. Exemplo disso são as Termas de São Pedro do Sul, cuja modernidade de equipamentos e a especialização técnica lhe garantem dias bem passados.

Em conjunto com o turismo histórico e de natureza, o distrito de Viseu é exímio no turismo de saúde e bem-estar. Exemplo disso são as Termas de São Pedro do Sul, cuja modernidade de equipamentos e a especialização técnica lhe garantem dias bem passados. Quer pretenda embarcar num programa de cura pela água com duração mínima de duas semanas, quer queira, apenas, relaxar durante dois ou três dias, este é, decididamente, um espaço a considerar. Fora do bulício da cidade e em absoluta harmonia com a natureza, venha experimentar os prazeres das termas, e reserve ainda uns momentos para visitar o Bioparque de São Pedro do Sul ou dar um passeio pelas serras da Arada, Gralheira e S. Macário. Vai ver que vale a pena.

A opção natural

Mais de 2000 anos de experiência comprovam que as águas minero-medicinais podem constituir, para muitos doentes, um tratamento natural e sem efeitos secundários. Especialmente indicadas para o tratamento de doenças reumáticas – como osteoartrose, artrite reumatóide, espondilite anquilosante ou fibromialgia – e das vias respiratórias – asma, rinite, sinusite, bronquite, otite, entre outras – as Termas de São Pedro do Sul oferecem acompanhamento médico especializado. Aconselhe-se sobre o programa mais adequado à sua condição física, deixe que cuidem de si e veja os resultados melhorarem o seu corpo e o seu espírito.

Nas termas com a História

Frequentadas por reis e rainhas ao longo dos séculos, as Termas de São Pedro do Sul beneficiam da reputação que só um longo passado confere. Há mais de 2000 anos já se fazia uso das propriedades termais destas águas, mas foram os romanos que ali deixaram os mais importantes vestígios patrimoniais ligados ao termalismo, visíveis nos elementos de pedra que pertenceram ao Balneum romano aqui construído nos primeiros anos do século I.

Mais tarde, as chamadas Caldas Lafonenses viriam a ser frequentadas por D. Afonso Henriques, quando o monarca fraturou uma perna na batalha de Badajoz. Porém, é a D. Manuel I que se deve a construção do Hospital Real das Caldas de Lafões em 1515 e o consequente desenvolvimento da povoação. No século XIX, o moderno Balneário que substitui o hospital manuelino foi experimentado com sucesso pela rainha D. Amélia, cujo nome ficaria, para sempre, associado às Termas de São Pedro do Sul.

Hoje, o Balneário Rainha D. Amélia é a alternativa mais confortável para quem pretende um ambiente de bem-estar termal com tratamento personalizado de alto nível. Bem perto das ruínas romanas, o Balneário D. Afonso Henriques oferece-lhe, em instalações recentemente renovadas, os mais inovadores programas em termalismo de saúde.

Return to the top