O domínio árabe na Península Ibérica teve uma profunda influência na produção de têxteis e bordados, obedecendo aos cânones estéticos muçulmanos.

Um longo período de conquista cristã não foi particularmente favorável ao desenvolvimento da arte de bordar . O bordado Português só emergiu tardiamente, sendo particularmente difícil como o seria na Idade Média . Sabemos que foi só a partir do final do séc. XVI que a produção de têxteis de alta qualidade começou a ganhar forma.

Uma das consequências da expansão política, religiosa e económica liderada pelos Português resultou na troca de novas formas de expressão cultural e artística. Os Portugueses logo apreenderam o hábil trabalho desenvolvido pelas mulheres indianas.
Desde o final do século XVI até ao século XVIII ,verificou-se um aumento na procurda de bordados mono ou multicolores. Estas obras contavam uma história particular ou eram símbolos de prestígio e riqueza.
A maioria dos exemplares que provinham do oriente eram para obras suspensas: umas colchas foram acolchoadas; outras decoradas com bandeiras ou retratando cenas bíblicas ou heróicas, plantas, entre outros motivos.
No bordado feito em Portugal, as imagens do estilo de vida ocidental merecem especial destaque. Contudo, o gosto de influência oriental foi fonte de inspiração, em termos de sua composição e decoração.

Não é à toa que tudo o que conteceu em vários lugares, com diferentes significados e estilos de produção, tenha exercido uma enorme influência no bordado de Castelo Branco, particularmente em obras mais elaboradas muito semelhantes, em termos de temas e de desenvolvimento, ao bordado Indo- Português .

Temas ornamentais
O bordado de Castelo Branco é o exemplo por excelência do gosto pela representação naturalista. A flora diversificada é um tema recorrente .
A representação da flora é muito vasta e de tal forma diversificada, que por vezes é difícil avaliar o seu significado,  pois é profundamente estilizado e complexo , sugerindo ainda uma sobreposição de espécies . A peónia , o lótus, o crisântemo e a árvore de ameixa, muito popular na civilização chinesa, e que remete para as 4 estações do ano: Primavera, Verão, Outono e Inverno. São estas as flores que podem ser frequentemente observadas neste bordado.
O ” albadarra ” , um termo árabe que significa um vaso com duas alças , é um motivo frequente do bordado de Castelo Branco. Trata-se de um vaso elegante, com uma grande tigela em baixo, que evoca o navio como um símbolo fertilidade, sendo provavelmente inspirado no tema da árvore da vida, com origens orientais.