Ansião

Situada entre o rio Nabão e os maciços da Serra de Sicó, a localidade de Ansião é ocupada desde tempos pré-históricos, apresentando registos memoriais e patrimoniais das épocas romana e árabe.

Situada entre o rio Nabão e os maciços da Serra de Sicó, a localidade de Ansião é ocupada desde tempos pré-históricos, apresentando registos memoriais e patrimoniais das épocas romana e árabe. Recebeu foral em 1142, e no ano de 1175 surgia referida pela primeira vez em documentação oficial. Porém, foi com a reforma administrativa do reinado de D. Manuel que, ao receber o seu segundo foral, Ancião iniciou um período de prosperidade que culminou com a elevação a vila por D. Afonso VI, já depois da Restauração.

No centro da vila pode visitar a Igreja Matriz, com o seu portal barroco, descansar na escadaria do pelourinho seiscentista, de onde apreciar o antigo solar dos Condes da Ericeira, que hoje alberga os paços do concelho, ou atravessar o Nabão percorrendo a Ponte da Cal. Não deixe de visitar o Complexo Monumental de Santiago da Guarda, situado no antigo palacete dos Condes de Castelo Melhor, que alberga a torre medieval que lhe está adjacente e uma villa tardo-romana dos séculos IV e V, cujos belíssimos mosaicos não deixarão, certamente, de o impressionar.

Pelas redondezas, muitos são os vestígios históricos e culturais que aguardam a sua visita: as antas da Atalaia e do Alto do Pisca ou o castro no Escampado de S. Miguel, o forno medieval que serve há séculos a localidade de Avelar ou o belíssimo retábulo que José Malhoa pintou em 1933 para decorar o altar-mor da Igreja Matriz de Chão de Couce.

E no final da visita, deleite o palato com as iguarias da terra, provando o queijo do Rabaçal acompanhado pelo vinho das Terras de Sicó enquanto espera pacientemente por uma dose generosa de cabrito assado ou de cacholada.

Os Olhos d’ Água do Nabão

Junto à vila de Ansião pode apreciar, sazonalmente, diversas exsurgências de água que alimentam o curso do Rio Nabão. A mais importante é a dos Olhos d’ Água onde no Inverno, por entre muros e fragas, a água do Nabão ganha força e corre livremente, para na Primavera dar lugar a espécies raras de flores que brotam por entre as rochas. A hera, a madressilva ou várias espécies de orquídeas pontuam o maciço, convidando a passeios pela serra.

Aventure-se à descoberta da Serra de Sicó!

Return to the top